Rebeca canta sobre caminhos que levam ao amor em Apressa

36
0

Apressa, canção que a cantora e compositora Rebeca acaba de lançar pela Deck, surgiu a partir de conversas entre amigos. “E se fossemos outras pessoas? E se encontrássemos a pessoa que a gente ama em outro momento da vida?”, comenta a artista sobre os questionamentos trocados com amigos como Renato Cortes, que levaram à composição da música. Para fazer a letra, ela se inspirou no estilo de escrita de seu parceiro da banda Gragoatá, Fanner Horta. “Ele escreve deixando uma incerteza no ar, e suas letras costumam me transportar para uma cena em que o eu lírico tá andando na rua em direção a algum lugar e tem uma reflexão, um desabafo, sem muita resolução a vista, mas expressando um sentimento sempre muito singelo”, explica.

A sonoridade da faixa traz referências de artistas como Adam Green, Devendra Banhart e Little Joy – interesses musicais que a cantora divide também com Fanner Horta – e a produção musical é assinada por Rafael Ramos, da Deck, com quem a artista colabora agora pela primeira vez. “Eu já tinha vontade de gravar com ele e acho que ele leu meu pensamento sobre o caminho estético de Apressa. Ele trouxe texturas que deram cara pra música e propôs gravarmos com instrumentos antigos. Passamos um dia no estúdio, o Leon Navarro gravou os violões e eu toquei instrumentos que nunca tinha visto antes. Foi um dia lúdico e muito produtivo”, comenta Rebeca.

Recentemente, a artista lançou Espiral, seu segundo disco solo. Apressa não integra o repertório do álbum, mas é um desdobramento das histórias começadas nele. “Acho que essa música é uma continuação de Telepatia,  que fecha o disco. As duas falam sobre se abrir para uma nova relação, mesmo com incertezas e vulnerabilidades no caminho. Em Apressa, existe uma vontade de encontrar um meio termo no encontro, com uma disponibilidade maior e mais clareza.” 

Capa
A arte da capa é assinada por Leandro Arraes e foi construída a partir de um frame de um vídeo capturado por Rebeca na ponte Rio-Niterói. “A letra da música tem o verso ‘pela praça, ponte ou proa’, que são elementos de transição entre Niterói e o Rio – caminho que  já perdi a conta de quantas vezes percorri. E a música expressa essa busca por encontrar o meio do caminho, um equilíbrio, então achei interessante essa escolha para a capa, um frame no meio da baía de Guanabara”, conta a cantora.

FICHA TÉCNICA 

Voz e Teclado: Rebeca 

Violão: Leon Navarro

Produção: Rafael Ramos

Gravação e Mixagem: Matheus Gomes 

Masterização: Fábio Roberto (Estúdio Tambor-Deck)
Capa: Leandro Arraes (Deck)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *