SKIPP is DEAD - Crédito Victória Bastos

Super Nintendo, Amapá e Bowie em EP de SKIPP is DEAD

Super Mario Bros, Ziggy Stardust e o Amapá se unem no EP “Blast Off!”, trabalho de estreia de SKIPP is DEAD. O projeto solo de Skipp conta com cinco faixas que contam a história de um pirata espacial refugiado de uma guerra intergaláctica. A sonoridade de SKIPP traz fortes influências do indie rock dos anos 2000, e também a linguagem chip tune. Sem esquecer suas raízes amapaenses, o músico acrescenta o batuque e o marabaixo.

A expressão “Blast Off!”, que nomeia o EP, é uma referência ao momento de quando o foguete levanta voo rumo ao espaço. “Quem compôs e gravou o EP foi um pirata espacial dentro de sua nave, e eu tentei trazer o contexto dele tanto pras letras quanto para a identidade fonográfica da obra, com um quê de lo-fi pra simular uma transmissão de longa distância.”, explica o músico.

Primeira música do trabalho, “Primal Instincts” fala sobre o quanto a sociedade obriga o indivíduo a distanciar-se dos instintos primitivos. A letra faz referência à faixa 3, Kessler Syndrome, e conta com influências musicais de Gorillaz, The Voidz e CSS. A canção seguinte é “Stars”, definida por Skipp como “um jingle torto de um entorpecente muito comum no espaço”. Nesta faixa, por meio de vocoders, até a personagem Chun-Li (Street Fighter) participa, junto do Daft Punk.

A música seguinte é “Kessler Syndrome”, que faz um paralelo entre um coração quebrado e a tendência que os detritos espaciais têm de acumular-se em volta da Terra, o que eventualmente vai impedir que objetos entrem ou saiam do planeta.

“Essa faixa é construída em volta das fórmulas rítmicas do Marabaixo, com suas acentuações no bumbo e dualidade de baquetas no estéreo do chimbal. O baixo traz características da música latina e conversa com os timbres de synth que, como nas outras faixas, remetem ao chip tune”, revela Skipp.

Chegando ao fim do EP, a canção “Alternate Start” fala da saudade do pirata espacial em relação às estrelas. Com referências ao livro que originou o filme “Blade Runner” (1982), no fim das contas, o personagem da música desenvolveu uma paranoia e acredita que é um Replicante. A faixa destaca-se pela presença maior de synths e autotune, corroborando com a ideia paranoica do pirata. Porém, o baixo orgânico ao fim da canção indica a aceitação da condição humana do personagem.

A última música é “Venus in Flames”, que é uma bebida espacial que representa o ponto fraco do pirata, que trata o drink como um amor antigo. A faixa começa com um synth que lembra o soar de um alarme, representando o estado mental do personagem. Neste conceito, entra também a trilha sonora da ‘Super Estrela’, item presente no Super Mario Bros, que transforma o personagem em invencível. “Musicalmente foi emprestado o ritmo do Zouk Love, da fronteira Amapá-Guiana Francesa para representar as festanças espaciais que os dois viveram juntos.”

O lançamento do EP “Blast Off!” marca o estabelecimento da identidade visual e sonora de Skipp, que trabalhou no disco em todas as suas fases. A ficha técnica conta com participação de Bruno Mont’Alverne (baixo), nas faixas “Primal Instincts” e “Stars”; e Collinz foi o responsável pela mixagem e masterização do material.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ant.
Keith Richards lança clipe para clássica “Hate It When You Leave”

Keith Richards lança clipe para clássica “Hate It When You Leave”

Keith Richards lançou um clipe para seu clássico de 1992 “Hate It When You

Próxima
Netflix anuncia novos episódios de One Piece para 2021

Netflix anuncia novos episódios de One Piece para 2021

Depois de disponibilizar os primeiros 61 episódios de One Piece no Brasil, a

Você pode gostar