em

Yamí lança faixa em parceria com Rita Benneditto

Um encontro de cânticos e ritmos percussivos marca “Yamí”, novo single do duo formado pelo italiano Federico Puppi e o baiano Marco Lobo em parceria com a cantora maranhense Rita Benneditto. A faixa, que dá título ao projeto, antecipa seu primeiro álbum, a ser lançado em breve. O single já está disponível nas principais plataformas de música digital.

Nada mais justo que a composição batizasse o projeto. Ela surgiu com a letra escrita por Rita após assistir um show de Puppi e Lobo, quando o duo já havia ganhado forma. Antes disso, porém, os músicos se encontraram no palco da turnê da própria Benneditto, que excursionava com o álbum “Som e Fúria”, gravado com Jussara Silveira. De lá, surgiu a mescla de percussão brasileira e tons eruditos com o cello e a música eletrônica.

Após viajar pelas areias do deserto e pelos sons africanos nos singles anteriores, com passagem por Salvador de Bahia no clipe “Baião da Onça”, agora Yamí embarca em uma viagem pelos sons maranhenses.

Veja o clipe “Baião da Onça”:

“A música contém ritmos típicos do Maranhão, terra da Rita, que juntamos com a nossa sonoridade. O resultado foi muito impactante para gente. Essa música resume bem a alma do projeto, seja pelo próprio nome, seja pela junção de ritmos ancestrais com beats eletrônicos. Essa união criou um mantra muito forte e emocionante. A voz da Rita trouxe uma magia e uma espiritualidade que ficou marcante”, analisa Puppi.

Italiano radicado no Brasil, ele é violoncelista e lançou em 2018 o disco “Marinheiro de Terra Firme”, seu segundo trabalho autoral – sucessor da estreia, “Canto da Madeira” – e que já flertava com a música eletrônica. Como produtor, trabalhou ao lado de Maria Gadú no disco “Guelã”, indicado ao Grammy Latino, entre outros nomes da cena brasileira. 

Crédito: Thais Gallart

Já Lobo é um dos grandes nomes da percussão no Brasil, com três álbuns solo e tendo trabalhado com artistas importantes, tais como Milton Nascimento, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Virginia Rodrigues, Lenine, João Bosco, Ivan Lins e Marisa Monte. Além disso, ele tem desenvolvido projetos com músicos de todo o mundo, como o baterista Billy Cobham e o trio Elf, e ainda participa do grupo World Percussion Ensemble. A percussão de Lobo em Yamí inclui, além dos atabaques, instrumentos do folclore brasileiro como berimbau, gungas e tambor de onça, além de pads eletrônicos  e outros instrumentos experimentais como hang drum, tubos e sucatas. 

Essa potência de batuque se encontra com Rita Benneditto. Artista polivalente, ela é conhecida por trabalhos como “Tecnomacumba”, onde explora a versatilidade de seu caminho na música que já foi coroado com uma indicação ao Grammy, com o Prêmio da Música Brasileira, entre outros reconhecimentos. A discografia de Rita Benneditto possui oito álbuns e um single, “7Marias”, que faz uma reverência ao poder feminino através do universo das pombagiras, entidades cultuadas nos terreiros de candomblé e umbanda brasileiros. 

Da rica troca com Puppi e Lobo ao longo da turnê “Som e Fúria”, Rita desenvolveu uma sintonia com o projeto que ganhou forma ao compor “Yamí”. “Fiz a canção conduzida pela força da emoção ao ver no palco esses dois queridos e talentosos amigos. Fui arrebatada em cheio pela magia que eles emanavam tocando numa grande festa na Ilha da Gigóia. A melodia e a letra de Yamí fluíram como os ventos que sopravam naquela noite. Quando percebi, ela estava pronta dentro de mim”, relembra ela.

“Yamí é uma grande fogueira ancestral queimando na mata sagrada em noite de lua cheia, acesa pelos ventos trazidos do mar. Yamí é um encontro de almas ligadas pelo cordão sagrado da deusa música. Yamí é um canto de luz aos nossos ancestrais para que eles nos devolvam a consciência cósmica do que perdemos”, completa a artista.

A faixa integrará o primeiro disco de Yamí, ao lado dos já revelados singles “Siroco”, “Bah’li” (com o músico camaronês Njamy Sitson) e “Baião da Onça” e outras músicas inéditas. 

Ficha técnica

Marco Lobo: percussão + eletrônica

Federico Puppi: Cello +  eletrônica

Rita Benneditto: Voz e percussão

 

Produzido por Marco Lobo e Federico Puppi

Gravado no estúdio Ouvido em Pé (Rio de Janeiro) por Federico Puppi e Marco Lobo

Mixado por Diogo Guedes no estúdio Toca do Mendigo (Rio de Janeiro)

Masterizado por Giovanni Versari no estudio “La Maestá” (Itália)

Foto de capa: Pico Garcez

Arte de capa: Gualtiero Terrealte

 

Autora: Rita Benneditto

Contém trecho de “Índia Guerreira” (DP/ Adapt: Rita Benneditto/Yamí) 

Deixe sua opinião