em

A Cabeça é a Ilha de André Dahmer

A Cabeça É a Ilha é um livro para esses seres estranhos, gente que conversa com os outros olhando para o chão. Para os que falam sozinhos, bêbados em seus apartamentos. Para os que olham para os edifícios altos como uma saída digna para o sofrimento. Não que o livro vá curá-los de toda a angústia. Porque, se dói, é sinal que se vive… André Dahmer

Nos 5 capítulos (A Cabeça é a Ilha, Deserto, Desencontro, Comportamento e Donos do Mundo) o tema solidão pode ser visto em muitas das suas faces, seja como consequência, seja como catalisador de algo maior. Mais do que isso, o livro A Cabeça é a Ilha é uma coletânea dos trabalhos de André Dahmer até 2009, misteriosamente esses trabalhos se tocam e conseguem falar direta ou indiretamente do tema central. E assim a solidão é celebrada,  com humor (e dor) nas 238 tiras presentes nesse livro.

Somos convidados a rir das ironias da vida e nem sempre o sorriso sai perfeito, as vezes meio amarelo, amargo, acanhado, resultado que com certeza é bem recebido pelo autor. Mostrar o pior que tem dentro de cada um, mas de uma forma engraçada e assim segue a leitura do livro, as vezes agradável e extremamente divertida, noutras temos o  silêncio, temos uma leitura desconfortável e contemplativa.

Famosas tiras de Dahmer estão lá, O encontro anual dos donos do mundo, De  Nihilo Nihilum, 2035, Cidade do Medo e claro, Ulisses, o nosso querido Ulisses. Nosso pobre personagem apaixonado e obcecado, preso em um mar congelado com 10000 garrafas de vinho. Não é a toa que a capa é dedicada a ele e ainda somos premiados com um pôster do personagem que vem de brinde. Todos nós temos um pouco do Ulisses, todos nós já sofremos ou vamos sofrer desse mal.

Nunca quando releio A Cabeça é a Ilha consigo lê-lo por completo de uma vez só. O desconforto é grande e apesar das tiras não causarem mais impacto depois de tantas releituras ainda fica uma sensação ruim. E nessas horas não consigo deixar de pensar nas conclusões do próprio autor: “Esse livro vai ser estranho”. E é, mas também não ha como se esperar algo diferente de André Dahmer.

A Cabeça é a Ilha pode ser comprado em grandes livrarias ou mais fácil ainda em grandes sites de vendas na web, ele saiu pela editora Desiderata, tem 152 páginas,  formato 21,8 x 15,3 cm, miolo impresso em papel offset 90g e capa sobre papel cartão 250g.

[xrr rating=5/5]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

One Comment

Audaz

Publicado por Phil Souza

Resenha: Kinect

Nike 6.0 Comix