em

Batman 70 Anos: Jason Todd – Vida, Morte, Ressurreição e Vilania

jason-toddQuando o escritor Len Wein assumiu a edição dos títulos do Batman em 1982, Dick Grayson havia ganhado um status de herói grandioso no Universo DC, já que ele mudou para Asa Noturna e se tornou um líder ainda maior para os Novos Titãs – o que, editorialmente falando, significava uma migração do personagem para um outro título. Na época, acreditava-se que ausência de um Robin trazia desvantagens para a narrativa das histórias do Batman, e um novo Menino-Prodígio era necessário para preencher esse espaço. Jason Todd apareceu pela primeira vez em Batman #357 e Detective Comics #524 (Março de 1983), mas ele só foi vestir o uniforme duas edições depois (publicada em Batman 70 Anos nº 1, da Panini).

batman-366-1 detective-comics-524

História Pré-Crise

A versão inicial de Jason Todd era uma origem totalmente copiada da origem de Dick Grayson – Jason era filho de pais acrobatas de circo que foram assassinados por um criminoso (Crocodilo) e mais tarde adotado por Bruce Wayne. O garoto era ruivo, e combatia o crime com um uniforme circense até que Dick lhe desse uma roupa de Robin de verdade. Quando se tornou o parceiro mirim oficial do Homem-Morcego, ele pintou o cabelo de preto e ficou sob a tutela completa de Wayne.

Nesta época, Jason teve aventuras solo, com o Batman e com os Novos Titãs, mas algumas mudanças drásticas acompanhavam o desenrolar da DC Comics nestes tempos e a Crise nas Infinitas Terras chegava para mudar todos esses conceitos.

História Pós-Crise

batman-408Com o revamp de todo o mito do Batman após a Crise nas Infinitas Terras, a origem de Jason também foi totalmente reformulada. Desta vez, ele era um garoto de rua que foi encontrado pelo Batman roubando as calotas do Batmóvel. Bruce Wayne o coloca numa escola para jovens problemáticos, mas logo o local se revela ser um berço para crimes e o menino ajuda o Batman a prender todos. Seis se passam enquanto Jason treina para se tornar o novo Robin, pois Batman acredita que, enquanto o menino não desenvolver todas as características que o anterior tinha, ainda não estaria preparado para sair às ruas. Ele também tenta aproveitar a fúria natual de Jason canalizando-a para combater o crime.

Este novo Jason Todd era impulsivo, imperdoável e cheio de ódio. Mesmo em missões com ordens estritas do Batman, Jason ataca sem pensar, inclusive correndo risco de vida, arruinando meses de planejamento, além de usar força física em excesso com os criminosos. Em uma historia ele chega a pegar uma arma na mão para atirar num bandido. Mais tarde, ele revela a seu mentor que acredita que usar força letal é cabível quanto se trata de criminosos. Numa outra história, este novo Robin permite (ou causa) a morte de um estuprador que escapa das acusações devido à influência de seu pai, que era diplomata. Nunca foi revelado o que realmente aconteceu, e Jason alega ter assustado o rapaz, fazendo-o cair do topo de um prédio.

Morte em Família

Chamada de Morte em Família, a história que matou Jason Todd na década de 1980 é uma das mais lembradas até hoje pelos fãs, seja pelo fato de um parceiro mirim morrer ou pelo fato de ter havido uma participação grande dos fãs no processo de criação dessas histórias, já que eles definiram o destino odo personagem com telefonemas. Para mais detalhes sobre toda a história, clique aqui.

batman-annual-25-pg06

Programação do Retorno e Capuz Vermelho

O retorno de Jason Todd era algo inimaginável até alguns anos atrás. A primeira dica de que ele poderia estar de volta veio no lançamento da série Silêncio, de Jeph Loeb e Jim Lee (2003), em um dos últimos capítulos da saga, quando a dupla de criadores brincou com o misterioso vilão Silêncio dizendo que ele seria Jason ressuscitado. No capítulo seguinte foi revelado que tudo não passava de um chiste do Cara-de-Barro, sob o comando de Silêncio e do Charada. Na época, Loeb falou: “Eu sempre gostei de Jason, da idéia de que o Batman teria um Robin que morreu em serviço, além de ser a coisa mais dura que Bruce enfrentou em sua vida como Batman. Mas Silêncio não era sobre Jason. Entretanto, se alguém quiser trazê-lo e isso serviu, pelo menos, para abrir as portas para este acontecimento, acho ótimo!“.

todd-hush

Em 2005, o escritor Judd Winick começou uma história envolvendo a misteriosa identidade do novo Capuz Vermelho. No último capítulo do primeiro tomo desta saga, o vilão revelou-se ser Jason Todd voltado à vida. Winick explicou que ele estava muito mais interessado no fato de trazer Jason de volta à vida e o quanto isso irita afetar o Batman do que qual seria a explicação para a ressurreição do personagem. Como se sabe, os motivos da volta dele foram revelados em Batman Annual #25 (Batman nº 54, da Panini), publicado sob o nome de “Dédalo e Ícaro, o Retorno de Jason Todd”, história na qual o jovem herói voltou à vida devido às alterações da realidade provocadas pelo Superboy Primordial.

Uma coisa interessante desta revista é que nela acontece um retcon da batalha entre Batman e o Cara-de-Barro na série Silêncio. Nesta versão, Jason Todd fez um pacto com Silêncio e o Charada – inicialmente ele confronta o Batman, mas então troca de lugar com o transmorfo vilão a fim de que possa observar o Batman ao longe. Quando o Morcego expressa remorso por ter deixado o Coringa vivo após Jason ter sido morto, o garoto resolve assumir o manto do Capuz Vermelho.

BATMAN_UNDER_HOOD_1
Logo após os acontecimentos da saga Jogos de Guerra, Jason Todd reaparece em Gotham como o Capuz Vermelho, roubando um carregamento de kryptonita do Máscara Negra. No meio de uma batalha com o Batman, Asa Noturna e o Sr. Frio, o Capuz devolve a kryptonita e alega ter conseguido o que queria: “um pedaço de terra”. Logo depois, o anti-herói encontra o Coringa (levado para fora de Gotham por Silêncio) e o espanca com um pé-de-cabra exatamente como havia acontecido com ele há tantos anos. O vilão é poupado, para que Jason possa usa-lo contra o Batman mais tarde.

O Capuz Vermelho assume o controle de várias gangues de Gotham City e começa uma guerra sozinho contra o Império Criminoso do Máscara Negra. Logo, ele acaba com várias atividades ilegais dessas gangues, e planeja a morte do Coringa por vingança à sua. Muitas de suas atividades acabam chamando a atenção do Batman e seus aliados. O Morcego descobre que o caixão de Jason estava vazio durante todo esse tempo e começa a se questionar se seu ex-parceiro realmente morreu. O uniforme de Robin usado por ele ainda está na Batcaverna – quando Alfred pergunta se ele quer que a roupa seja removida dali, seu patrão apenas responde que o retorno de Jason não muda nada no fim das contas.

Sabendo que Tim Drake não apenas o substituiu como Robin, mas também é conhecido por ser um Robin muito melhor que ele havia sido, Jason confronta-o na Torre Titã. Usando uma versão alterada de seu próprio uniforme de Robin, ele rapidamente imobiliza Tim e os outros Titãs tentam ajudá-lo, e Tim acaba jogado no Memorial dos Titãs. Jason se enfurece ao perceber que não havia uma estátua pra ele (mesmo que tenha participado da equipe por pouquíssimo tempo). Com Tim espancado, Jason o questiona se ele é realmente um Robin tão bom quanto dizem que é, e Tim confirma. Jason retira o “R” do uniforme dele. Mais tarde, ele acaba respeitando o novo Robin, dizendo que ele é realmente bom, e inveja o fato de ele ter uma família e amigos como tem.

bm650-0016cropped2 O clímax do retorno de Jason aconteceu quando ele sequestrou o Coringa e o manteve num cativeiro, fazendo com o que Batman fosse para o Beco do Crime, local onde eles se encontraram pela primeira vez. Jason questiona o Batman de porque ele não assassinou o Coringa para vingar sua morte, o que foi explicado pelo herói como uma linha que jamais poderá ser cruzada. Um enfurecido Jason explica que o Coringa merece isso, por tudo que já foi feito pelo vilão em sua vida. E joga um ultimato ao herói: Jason vai matar o Palhaço do Crime se o Batman nao matá-lo antes, e começa a contar até três. Mas o Batman impede que o assassinato ocorra e o vilão, tirando vantagem disso, laça alguns explosivos que jogam todos ao mar.

bm650-0017resized bm650-0018cropped2

jason-todd-red-robinÚltimos acontecimentos e futuro do personagem

Durante os eventos das sagas Um Ano Depois e Contagem Regressiva, Jason Todd figurou em várias histórias do Asa Noturna, Batman e Arqueiro Verde, sempre como um anti-herói perdido, pendendo mais a um vilão pentelho do que outra coisa. Desde o seu retorno, Jason não figurou nenhuma história de real importância para os leitores, e seu retorno tem sido criticado até hoje. Na Contagem Regressiva, ele chegou a adquirir um status um pouco mais heróico, inclusive obtendo o uniforme do Robin Vermelho para lutar contra o Batman vilanesco da Terra-51, mas, como visto na saga Battle for the Cowl, tudo isso foi apagado, conforme vimos o Jason antiético e assassino tentando tomar o lugar de seu mentor a todo custo.

battle-for-the-cowl-1-batman-2

O que aguarda Jason Todd agora é um novo arco de três partes proposto por Grant Morrison e Philip Tan, chamado The Revenge of the Red Hood, o que coloca o personagem de volta ao capuz que usou quando voltou à vida. O editor Dan DiDio não concorda com quem critica a volta do herói e diz que ainda há planos pra ele. É esperar pra ver.

4 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Quando eu li Uma Morte em Familia, eu realmente não acreditei que tivessem feito algo tão cruel, em se tratando dos personagens da DC. Quando eu leio algo da editora sempre me parece que os personagens amam ser heróis e que respeitam legados.
    Jason Todd não é um personagem comum na editora, ele sempre foi mais personagem de outras editoras como a Marvel e a Dark Horse, onde os personagens, bom são na falta de uma palavra melhor, fudidos. O gênero do Anti-herói foi muito pouco aceito em se tratando de um dos Robins, pois Batman apesar de tudo ainda é um grande herói, alias um dos maiores.
    Penso, mesmo que seu revival seja meio idiota, ele pode dar a editora a chance de se criar outro tipo de personagem.

  2. JASON TODD FOI UM ERRO, RESCUCITA-LO FOI UM ERRO MAIOR AINDA. ELE NÃO ACRESCENTOU NADA DE BOM NA MITOLOGIA DO MORCEGO.
    OUTRO ERRO DA DC, NA MINHA OPINIÃO, FOI NÃO TER REFORMULDADO O UNIFORME DO ROBIN NA DECADA DE 80. ORA, É DIFICIL DE ENGOLIR UM ADOLESCENTE PULANDO EM TELHADOS COM UMA SUNGA VERDE, AS PERNAS DESCOBERTAS E SAPATOS DE DUENDE. AS HISTORIAS DOS NOVOS TITÃS FICARIAM MELHOR , PORQUE CA PRA NÓS O UNIFORME ERA INVEROSSIMIL. AINDA BEM QUE ESTA MUDANÇA VEIO NA DECADA DE 90. ANTES TARDE DO QUE NUNCA.

  3. Putzgrila !
    Eu NUNCA tinha ouvido falar dessa versão pré-crise do Jason Todd…
    Vale o registro de que, com a estúpida volta à vida de Jason Todd, alguns bat-fãs resolveram reclamar do ocorrido de uma forma bem original:
    Pedindo de volta o valor da ligação que haviam feito na época e que decidiu pela morte do bat-parceirinho mirim !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Street Fighter

Publicado por Morcelli

ColecionadorCinéfiloGibizeiroRepórterSuper-fãs

Novo clipe do Pearl Jam possui direção de Cameron Crowe

Trailer do game Dragon Ball Online