Ambrosia TV O seriado "Sob a Redoma" faz jus a loucura de seu autor

O seriado “Sob a Redoma” faz jus a loucura de seu autor

Provável que quem vá ler este artigo me entenda mau. Não tem problema, ainda assim, espero que leia até o final. O fato é que Stephen King não é mais o mesmo tem um bom tempo. Desde que sofreu um acidente em 1999, algo dentro dele mudou para sempre. E o que no início era considerado genialidade, hoje em dia passou a ser questionável. Suas obras que antecedem a este ano como Salem, À Espera de Um Milagre, O Iluminado são sensacionais, histórias incríveis, que comovem e espantam, mas que contam também com uma pequena dose de moral.
Diferente do que tem acontecido ultimamente com seus trabalhos, vide o seriado inspirado em seu livro de mesmo nome “Sob A Redoma”.

dale-barbara-under-the-dome-34484826-1920-1080

Em um dia aparentemente normal, vemos um homem (Mike Vogel) cavando uma cova. Ele despeja um corpo e tapa o buraco. Ao seguir em uma estrada, vacas cruzam seu caminho e ele precisa fazer um rápido desvio danificando o veículo. É quando de repente um tremor começa e algo parece cair do céu, dividindo uma vaca ao meio. Um garoto (Colin Ford) vem correndo oferecer ajuda e os dois se deparam com uma espécie de barreira de vidro. Lá no alto, um avião se choca nessa parede invisível e destroços caem no chão. O homem salva o menino, e é quando a polícia chega. Eles não sabem como, mas essa barreira parece se estender por muitos quilômetros e dividiu a cidade de Chester’s Mill, deixando parte de seus moradores dentro dela e parte do lado de fora. A jornalista Julia Schumway (Rachelle Lefevre) começa a se preocupar com o fato de seu marido ainda não ter aparecido. Enquanto isso, o vereador da cidade Jim Reine (Dean Norris) tenta tranquilizar os moradores visando ganhar mais eleitores. Na rádio local, os DJ’s ouvem uma frequência onde os militares passam a chamar a barreira de “redoma”. Rapidamente a notícia se espalha e começa a gerar um certo pânico, para desespero das autoridades locais que estão escassas. Em poucos dias, estratégias passam a ser feitas e segredos antes escondidos, presos naquela situação atípica, estão prontos para se libertarem a qualquer instante. Alianças serão feitas e desfeitas em uma cidade isolada do mundo, onde seus habitantes remanescentes farão de tudo para conseguir sobreviver.

Blue on Blue

*Spoilers à frente. Siga por sua conta e risco*

O intuito do seriado é louvável, mas ao longo de 13 episódios, acaba por se perder completamente em seu próprio devaneio. Nem a excelente produção de Steven Spielberg, ou a supervisão do próprio autor conseguem salvar. Tampouco é uma ideia nova para King, que já havia explorado a mesma temática no filme “O Nevoeiro” de 2007, baseado em um dos seus contos. Dessa vez ele apenas ampliou esse universo ao propor que observássemos o comportamento dos habitantes de uma cidade pequena ao se verem limitados a um espaço físico e obrigados a ter uma convivência social. King teoriza sobre a psique humana e os diversos tipos de reação que cada um tem, dependendo da situação em que são postos, mostrando muitas vezes sua verdadeira natureza. O que obviamente é extremamente interessante, mas que cai por terra, quando ele resolve colocar alienígenas(??) na trama, perdendo assim o sentido real e a credibilidade do seriado.

under

Se o principal era mostrar o comportamento humano diante de situações adversas e usando de personagens extremamente ricos para ilustrar, não havia a menor necessidade de explicar qual era a origem da redoma. Que deixasse a encargo do espectador especular sobre o mesmo ou que mostrasse uma possível origem, mas, sem aprofundar muito, perdendo assim o ritmo ótimo em que caminhava o seriado e, principalmente, o foco. O que é uma pena, pois conta com um elenco incrível e dedicado, mas só vale os seis primeiros episódios, pois o resto é passável.

“Sob A Redoma” foi dividido em duas partes e a segunda irá estrear somente no verão americano de 2014.

13 COMENTÁRIOS

  1. Não acho q a culpa de a serie ter ficado essa merda foi totalmente do S.K. Ele de feto tem pecado quanto a render suas obras “quase que primas”, digamos assim, à clichês de pior categoria como essa serie da CBS que tem a ele entre os produtores executivos (aff!! vá entender?!). Mas não acho que esse romance, assim como saco de ossos por exemplo, tenho sido mal produzidos ou escritos, sem a essência de Stephen, ao contrario, é mais do que perceptível o toque dele na obra. Está impecável! E apesar de ter envolvido, de maneira totalmente alucinante, essas raças alienígenas no enredo, não deixa de dar total atenção ao seu exclusivo, e típico, toque ao tenebroso e inesperado lado da natureza humana diante de uma situação de total crise e desespero como esta vista sob a redoma, assim como em O Noveiro!! Por outro lado – quem leu o livro sabe -, a serie ficou a pior merda possivel, o que é até uma vergonha, tendo sobre ela o dedo de excelentes roteiristas e diretores, como Vaughan, Niels Oplev, King, e até Spielberg…

    • Acho que King ficou comercial demais, como o Tim Burton que não produz nada de novo. Tudo mais do mesmo. Não tiro os méritos do King como autor. Só acho que por melhor escritor que ele seja, repetir ideias nunca é algo bom.

  2. Bom na minha opinião vc esta tentando interpretar demais a vida do
    mestre já que ele sempre escreveu com base em cidades isoladas e tal..
    não tem nada haver com o acidente.

    Segundo esse série só pegou os
    nomes e alguns conceitos do iniciou do livro e depois decidiu criar
    assas e voar, tanto que depois do ep 6 pulei pro último rindo de tao
    besta que era.

    Acho importante fazer a menção que o King é
    consultor, o 1 ep foi ele quem escreveu, mas a última palavra não é dele
    e os filmes não são dele, apenas carregam seu nome! Mas posso ver que
    vc provavelmente nem leu o livrou oou nao teria escrito tanto besteira.

    Obs: Se a tematica igual vc quer dizer que o “O Nevoeiro”, Tempestade do Século, The Stand… acontecem em lugares isolados no Maine

    • Entendo que você é fã e pelo visto, bastante até, que bom. Continue gostando dele.
      Pois para mim, Stephen King tem muitos outros trabalhos melhores do que esse.

    • pelo oque eu sei, bons julgamentos são feitos por pessoas que conhecem os fatos e o “réu”, e você obviamente não leu o livro, foi exatamente oque a monica disse “Segundo esse série só pegou os nomes e alguns conceitos do iniciou do livro e depois decidiu criar assas e voar” essa comercialidade, ou em outra palavra, enrolação, que a serie apresenta é claramente invenção de quem produz e manda na serie, o livro tem sim alienígenas mas no fim alem de mostrar um lado ruim do humano que não se aplica apenas na redoma mas na infância em nossa inossencia, o como somos cruéis por natureza, o aliem não é só a resposta para a redoma, ele também, é a nossa crueldade natural em proporção maior justamente pelo fato de ser um alienigena

  3. Oi adorei.. muito obrigado, amei a maneira que vc usou para descrever essa resenha…me fez se interessar pelo
    livro….mas vc já leu o livro reverso… se trata de
    um livro arrebatador…ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de
    todos os tempos…..e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas
    usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais
    mencionados na história…..acesse o link da livraria cultura e digite
    reverso…a capa do livro é linda, ela traz o universo de fundo.

    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

  4. Eu até concordo que seria interessante não ter explicação para o surgimento da redoma e deixar por conta do telespectador, mas conhecendo o perfil do autor e de Spielberg, era previsto que teria alienígenas na séria.

    Sobre o elenco eu acho muito ruim, um dos piores que há nas séries de TV, é uma pena por ter muitos nomes requisitados que já participaram de grandes projetos como (true blood, breaking bad, bates motel) eles não são convincentes.

  5. o livro e ótimo mas a serie em si uma verdadeira merda pra começar no livro começa com o aviaõ se chocando na redoma barbie naõ mata ninguem no começo do filme a radio local da cidade e evangélica e naõ de rock o filho do big jim e um pisicopata e sofre de constantes dor de cabeça e naõ namorado da menina e sim matador pois matou 2 meninas que ele odiava , dale barbara vulgo barbie entra na cidade arrumando rolo e vai trabalhar no restaurante da cidade de chapeiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

próxima publicação