em

Movie Tunes: O Chacal (1997)

Hoje voltamos ao auge do rock industrial e trip hop dos anos 90 com a trilha sonora de The Jackal (O Chacal), estrelado por Bruce Willis e Richard Gere em uma caçada a um assassino que está tentando matar alguém do alto escalão americano.

Movie Tunes: O Chacal (1997) | Colunas | Revista Ambrosia

A abertura do filme vem com Superpredators do Massive Attack, em uma versão remixada chamada Metal Postcard, que tem samples de Siouxsie and the Banshees’ “Mittageisen e nunca lançada a não ser na própria trilha:

[youtube]http://youtu.be/vgwyjwgB0Ns[/youtube]

O bom da trilha do filme é como ela é utilizada delicamente no decorrer do mesmo, sendo colocada em diversos momentos chaves, quase escondida. A única exceção é Red Tape da banda Agent Provocateur que é usada em momento chave da trama para disfarçar um assassinato do Chacal.

[youtube]http://youtu.be/TTXPocUBpPw[/youtube]

O filme, apesar da quantidade enorme de mortes, não é muito sangrento e todo mundo que assiste televisão já deve ter passado por ele em algum momento. Não que se compare ao original de 1973, mas tem seus méritos e foi bem adaptado.

Na trilha ainda encontramos músicas de Fatboy Slim, Primal Scream Bush, Lunatic Calm, Apolo 440, The Prodigy, Moby, BT, LTJ Bukem, The Charlatans (remixado pelo Chemical Brothers) e outros.

Até mesmo Ani DiFranco ganhou espaço com uma versão remixada de sua Joyful Girl.

Na época o rock sujo, misturado com batidas eletrônicas era a grande moda e como vimos acima, os produtores se aproveitaram para tentar criar uma trilha que marcasse época e ficasse na mente dos jovens daquela época.

Não foi exatamente um sucesso porque rock industrial e trip hop nunca foram exatamente mainstream, e por isso alguns ficam agradecidos.

Querem uma mostra do porque tais bandas eram undergrounds? Olha o clipe de It’s Over, It’s Under do Dollshead.

[youtube]http://youtu.be/6kSGGE9E2sc[/youtube]

Final dos anos 90, Inglaterra, muita coisa boa rolava naquelas bandas, mas isso não quer dizer que eles não eram esquisitos. Apesar de que era só mostrar uma foto do povo do Prodigy para provar esse ponto.

Claro que, 15 anos depois, dificilmente algumas dessas bandas iriam permanecer fazendo sucesso, especialmente estando tão ligadas aquela época distinta. Ainda conseguimos assistir shows de diversas dessas bandas e DJs, mas poucos ainda são reconhecidamente sucessos atuais, talvez apenas Fatboy Slim consiga encher uma casa de shows, e mais pela sua fama passada do que pela qualidade do som.

A trilha ainda assim é fantástica e até hoje os fãs daqueles estilo podem ouvi-la sem qualquer problema. Para quem é muito novo, vale para conhecer. Ainda, na mesma linha, a trilha de Trainspotting, Matrix e Spawn (sim, aquele filme) são bem marcantes nesse gênero.

Abaixo a lista de músicas da trilha, para quem quiser caçar todas no youtube ou qualquer outro local:

  • “Going Out of My Head” – Fatboy Slim
  • “Poison” – The Prodigy
  • “Superpredators (Metal Postcard)” – Massive Attack
  • “Swallowed” (Goldie/Toasted on Both Sides Mix) – Bush
  • “Joyful Girl” (Peace and Love Mix) – Ani DiFranco
  • “Shining” – Moby
  • “It’s Over, It’s Under” – Dollshead
  • “Get Higher” – Black Grape
  • “Sunray 2” – Goldie & J. Majik
  • “Shineaway” – BT featuring Richard Butler
  • “Red Tape” – Agent Provocateur
  • “Toothache” (Chemical Brothers remix) – The Charlatans
  • “Leave You Far Behind” – Lunatic Calm
  • “Raw Power” – Apollo 440
  • “Demon’s Theme” – LTJ Bukem
  • “Quédate Aquí” – Mariachi Ameca (Written by José Luis Cervantes)

Deixe sua opinião

Avatar

Publicação J.R. Dib