em

Festival do Rio: Saí no Meio I

Nesta seção, o leitor poderá constatar que há críticos que se recusam a sofrer tortura.

Este é um ato admirável de resistência e autopreservação. Que isto seja valorizado.

Arranca-me a Vida de Roberto Sneider

Gatinha mexicana se casa com general cafajeste metido com política. Por ele se meter com outras moças, ela faz os seus descontos. Feminismo vagabundo sob ótica de academicismo patético e rasteiro. Sebo nas canelas.

35 Doses de Rum de Claire Denis

Madame Denis tem um filme que me rendeu uma das melhores surpresas que algum festival já me rendeu: A obra prima “Bom Trabalho” de 1999, baseado em “Billy Budd” de Herman Melville. Desde então, assisto com grande expectativa tudo que a moça apronta. O desapontamento é frequente. Aqui o que, até a hora em que saí, obtive foi um entediante cotidiano de um maquinista de trem e sua filha estudante. Ambos moram num “Banlieue”, conjunto habitacional modesto, para padrões franceses, e dividem sua vidinha chata conosco. Aparentemente, através de belo olhar que lembra um pouquinho o filmaço já citado, deseja-se mostrar aos potenciais racistas underdogs franceses, prováveis eleitores do partido ultranacionalista Front National, fundado pelo infame Jean-Marie Le Pen, que negros são gente, assim como eles. Chatice bem feitinha. Sabendo que negro é gente, não sendo underdog e francês, muito menos, tchau.

O Mercado de Ben Hopkins

O começo tem lá seus atrativos, No decorrer dos créditos há uma cantora que canta introduzindo o protagonista e a narrativa a la Brecht. Depois, só diálogos bestinhas e linguagem entediante. 20 minutos foi tudo que pude suportar.

Sussurros ao Vento de Shahram Alidi

O primeiro plano já é de filme de estudante. Vemos um copo de cerveja ser preenchido com câmera inclinada para no plano seguinte vermos que um homem está com a cabeça deitada sobre a mesa. Ponto de vista, sacou? Uau! De resto, coerência com isto. Muito efeitinho linguístico deste nível para falar do sofrimento do povo curdo. Mão pesadíssima e patética. Nada contra a causa mas porcarias como esta são mais formadoras de adversários que de adeptos. Demorei um pouco mais para sair devido à soneca que tirei.

alguém opinou!

Deixe sua opinião!
  1. Wow nem sabia que o festival do rio tinha começado O_o

    Agora já sei qual filmes é bom fugir, mas por que vocês não publicam um artigo também com as recomendações do que é bom ver?

    Brigada ^^

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciante

Publicado por André Tag

The Dead Weather: Horehound

Série “A Hora do Pesadelo” Ganhará Documentário em 2010