em

Hellboy II – Assista no Cinema

Antes de mais nada gostaria de explicar que Hellboy nos cinemas é uma visão fechada do que existe nos quadrinhos, assim como O Cavaleiro das Trevas para o Batman, como X-Men Evolution é para X-Men e todas outras adaptações para outras mídias, o entendimento do que isto significa altera é necessário para apreciação deste tipo de obra.

Hellboy II: O Exército Dourado é a continuação direta de Hellboy (2004), inclusive a equipe criativa é a mesma, Guilhermo del Toro e Mike Mignola produziram o filme da memas maneira que fizeram com o primeiro,a única diferença é que ambos resolveram nos prestigiar com uma história original que nunca existiu nos quadrinhos. Segundo uma entrevista de Mignola, ele e del Toro chegaram a temática do filme após oito horas trabalhando num roteiro chamado ‘Almost Colossus’, o roteiro não deu certo então tiveram a idéia de trabalhar com fadas, trolls e elfos. Na época os dois trabalhavam com o mundo das fadas em outras produções, del Toro produzia O Labirinto do Fauno e Mignola um arco sobre elfos e trolls para Hellboy, nas palavras de Mignola ‘algo que surgiu naturalmente’.

A grande diferença ao trabalhar com um roteiro original foi em relação ao visual dos personagens, mesmo com Mignola e del Toro trabalhando juntos, no resultado final nota-se claramente o toque do diretor mexicano já que quase todos personagens eram originais. A única excessão foi Johann Kraus, cujo uniforme dos quadrinhos não funcionava no cinema, a solução foi então adaptar um uniforme Steampunk :D

Hellboy II é essencialmente um filme a ser apreciado nos cinemas, portanto faço aqui uma suplica para que não deixe para ver o filme em vídeo ou televisão, mesmo que tenha o melhor equipamento do mercado sua experiência não será a mesma, abaixo os principais motivos que fazem de O Exército Dourado um filme obrigatório.

1. Hellboy
Um dos melhores personagens dos quadrinhos, Mignola conseguiu arrancar elogios até mesmo de Will Eisner com sua criação. Seu humor ácido e sarcástico se iguala somente ao seu temperamento.

2. Guilhermo del Toro
No filme o diretor prova porque foi escolhido por Peter Jackson para dirigir O Hobbit e o Prelúdio de O Senhor dos Anéis, a direção balanceia perfeitamente todos contrastes necessários da produção. Além claro de enriquecer com sua visão única o universo do imaginado por Mignola.

3. Can’t Smile Without You
O melhor momento do filme é quando Hellboy e Abe decidem afogar suas mágoas amorosas com cerveja e Barry Manilow

4. Mononoke Hime
A cena do Deus da Floresta é tocante e impressionante ao mesmo tempo, além de reunir ação, comédia, fantasia e romance nos fazer contemplar o fatídico destino do personagem é claramente uma homenagem a Mononoke Hime (Princesa Mononoke), um dos maiores trabalhos do mestre Myasaki e um grande alerta ambiental para nossa condição atual.

5. H. G. Wells e J.R.R. Tolkien
Fantasia e ficção científica contracenam no universo do filme de modo espetacular, com muitos elementos Steampunk e outros que parecem ter saído diretamente da Terra Média, e olha que quando foi realizado del Toro ainda nem sonhava com O Hobbit.

6. Hellboy III: Armaggedon
Del Toro e Mignola imaginaram Hellboy como uma trilogia, até agora tudo caminhou para isto. O primeiro filme foi sobre a reunião da família B.P.R.D., este segundo filme é sobre escolhas e o amor, tudo levando ao imenso terceiro filme sobre valores e conseqüências, onde Hellboy vai finalmente encontrar seu terrível destino.

Mas como Hellboy 3 é um motivo de assistir o O Exército Dourado nos cinemas? Simples, o filme só vai acontecer se tiver uma boa bilheteria, Hollywood olha para as cifras e não para resenhas, então assista um grande e singular filme chamado Hellboy II e contribua para o final da saga.

Hellboy II: O Exército Dourado (Hellboy II The Golden Army)
Direção Guilhermo del Toro
Roteirista: Guillermo del Toro, Mike Mignola
Elenco: Ron Perlman, Selma Blair, Doug Jones (1), Seth MacFarlane, Luke Goss, Anna Walton, Jeffrey Tambor, John Hurt, Brian Steele, Andrew Hefler, Iván Kamarás, Mike Kelly (5), Jeremy Zimmerman, Santiago Segura, Roy Dotrice
Nota Ambrosia: [rating:90/100]

Salvador Camino

Publicado por Salvador Camino

em jornada pelas artes