Ambrosia Literatura "Frente de Tempestade" da série Os Arquivos Dresden

“Frente de Tempestade” da série Os Arquivos Dresden

HARRY DRESDEN – BRUXO
Encontram-se objetos perdidos. Investigações paranormais.
Consultas. Aconselhamento. Preços razoáveis.
Nada  de  poções  do  amor,  sacos  sem  fundo,  festas  e espetáculos em geral

Conheci os livros da série Arquivos Dresden devido o sucesso do jogo de RPG (de mesa) que ganhou em 2011 prêmios como melhor jogo do ano nas duas maiores premiações do RPG  lá nos Estados Unidos (Ennie e Origins). Devido minha curiosidade em ler o jogo descobri com ele um universo fantástico que me fez buscar informações sobre os livros que contam as histórias do mago Harry Dresden. Escrito por um autor até então totalmente desconhecido por mim, Jim Butcher, o série me pegou de surpresa com já 13 romances já lançados, uma coletânea de histórias curtas, uma HQ e uma série de TV que durou uma temporada. Aonde eu estava que nunca antes havia lido algo sobre os Arquivos Dresden?

Para minha felicidade a Editora Underworld lançou aqui no Brasil o primeiro livro da série, Storm Front, traduzido aqui como Frente de Tempestade. Com seus pontos altos e baixos a versão brasileira demorou a cair em minhas mãos, lançada em 2011, só fui conferir o trabalho agora. A capa utiliza a mesma ilustração da edição americana com arte de Chris MacGrat, porém a edição brasileira parece até mais bonita e bem acabada que a original, ponto para a Underworld. Internamente o trabalho também não fica a desejar, mas infelizmente existem alguns furos na versão brasileira, conforme abordarei mais adiante.

Capa de Side Jobs

Os Arquivos Dresden são o encontro dos romances policiais no estilo Noir com um universo fantástico sombrio. As características do Noir estão lá, a narrativa em primeira pessoa tão comum do gênero (e tão homenageada), misteriosos crimes a ser resolvidos, um “mocinho” imperfeito cercado de mulheres lindas.  Esse “lado policial” anda sendo esquecido por quem fala do livro, mas ele é notado até pelas livrarias que o vendem, na Saraiva por exemplo, ele está classificado como literatura estrangeira/policial.

É o próprio Harry Dresden que narra sua história, e como ele mesmo se apresenta, é o único bruxo que deixa seus serviços disponíveis na lista telefônica, é só ligar.  Seu nome completo? Harry Blackstone Copperfield Dresden, a soma de 3 grandes mágicos famosos,  Harry Houdini, Harry Blackstone David Copperfield. Presente do seu pai que também seguia a profissão como mágico e como todo pai apaixonado pelo que faz, acaba tentando influenciar o filho, nesse caso ele começou pelo nome. Quem aqui não conhece alguém com um nome de um artista exatamente por que os pais eram fãs?

Turn Coat, Décimo primeiro livro

No livro Harry Dresden está passando por um sério aperto financeiro, sua sorte só parece mudar quando dois casos diferentes surgem para que ele resolva. No primeiro a estranha Monica Sells quer que ele encontre seu marido supostamente desaparecido, já no segundo um misterioso caso de assassinato aonde dois amantes morreram enquanto transavam. O motivo da morte é no mínimo curioso, seus corações explodiram. As historias começam a se complicar com o surgimento de vampiros, mafiosos, fadas, demônios, muita encrenca para deixar Harry Dresden em sérios problemas.

O personagem principal é de um humor que conquista com facilidade o leitor, o segundo a ganhar a cena, com certeza, é seu ajudante Bob Caveira. Bob é um elemental preso a um crânio que serve como um imenso banco de dados mágico para Harry. O elemental é um tanto quanto sem vergonha e a cena da criação de uma poção mágica é simplesmente sensacional, fiquem bastante atentos aos ingredientes da poção do amor! Alias, Harry usa um elemental como “banco de dados” por que os bruxos possuem um problema sério com tecnologia, na presença da magia tudo que é tecnológico tende a dar defeito uma hora ou outra.

White Night, nono livro da série

Outras características marcantes sobre os magos são comentadas, como o fato de ninguém olhar diretamente nos olhos de um, os sentidos ampliados, uma percepção da realidade bem diferente de um humano normal devido a ligação intima entre eles e os elementos da natureza. Existe também o Conselho Branco, um grupo de magos poderosos que inibe uso de magia de forma errada pelos outros magos através de 7 leis primordiais, a leis são seguidas de forma extremamente rigorosa trazendo penas severas a quem não a segue. Alias, um dos grandes problemas do Harry tem relação com esse Conselho, mas não vou entrar em detalhes para não estragar a surpresa.

A história nos prende do começo ao fim, no primeiro livro o universo dos Arquivos Dresden é uma completa novidade, a cada instante descobrimos uma informação nova sobre o personagem ou sobre algum elemento fantástico que ele pertence. A narrativa em primeira pessoa também ajuda, o personagem nos diverte bastante apesar de brincar até demais. Também não ha tanta surpresa na resolução dos crimes até por que alguns elementos relacionados a esse universo – e que obviamente não conhecemos – são chave para fazer a história andar. A graça está muito mais em ver como Harry resolve as coisas, qual vai ser seu próximo truque?

Small Favor, décimo livro da série

Não saberia avaliar a qualidade na tradução da obra feita pela editora brasileira, porém na revisão do livro a editora Underworld peca gravemente. Em inúmeros momentos encontram-se palavras de mesmo significado aglutinadas como se o tradutor estivesse decidindo entre uma palavra ou outra, e no mínimo a revisão acabou esquecendo de remover. Um erro grosseiro que qualquer editor de texto resolveria. Isso  não prejudica a leitura, mas desrespeita o leitor que paga pelo livro esperando um trabalho bem mais profissional e por isso mesmo não pode passar despercebido no próximo livro, Fool Moon. Pelos comentários no blog da editora, mesmo ainda não estando presente no cronograma oficial da Underworld, o livro corre o risco de sair ainda esse ano.

Como resultado final minha curiosidade sobre os Arquivos Dresden foi parcialmente saciada. Afinal, temos pelo menos 12 livros que faltam e a esperança que a Editora Underworld faça um bom trabalho de revisão na próxima vez, até por que se algo assim persiste fica difícil dar credibilidade ao trabalho da editora. Os Arquivos Dresden possuem histórias que podem atrair um grupo de perfil diferente dos leitores comuns a editora, o que é bom se for bem aproveitado. Agora é só aguardar o próximo livro.

Ilustrações retiradas do portifolio do artista Chris MacGrat.

[xrr rating=4/5]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

próxima publicação