em , ,

TopTop

Curta nacional “Tormenta” estreia em festival da República Tcheca

Produção de Emiliano Cunha e Vado Vergara passa dia 28 de outubro no 25º Jihlava International Documentary Film Festival

Arquivo Pocilga Filmes

O curta-metragem “Tormenta”, de Emiliano Cunha e Vado Vergara, terá estreia internacional na República Tcheca, no 25º Jihlava International Documentary Film Festival no dia 28 de outubro. Considerado o maior festival de documentário criativo da Europa Central e Oriental, o evento é membro da rede de festivais Doc Alliance, que reúne os sete festivais-chave europeus do gênero. “Tormenta” será exibido em mostra competitiva dedicada à experimentação.

“Tormenta” fala de Maria Flor (filha do diretor Emiliano Cunha). E de outras flores também. O filme reelabora memórias registradas por dispositivos móveis e narra sensorialmente uma fábula que conta a história de uma geração de crianças que nasce em meio a um período turbulento no Brasil. Um momento de ódio latente, de pouca esperança. “Nas texturas das imagens em baixa definição, buscamos a necessidade do estar perto, do deixar-se sentir. ‘Tormenta’ é uma carta póstuma de um pai vivo para uma filha, um diálogo com um amanhã ainda a florescer”, resumem os realizadores.

Segundo os cineastas, o curta abraça o processo como forma de escrita audiovisual, como estética. “Tentamos nos afastar de algumas amarras que a produção industrial muitas vezes nos impõem”, explicam. “Era fundamental que os sons e imagens nos encontrassem. Para isso, era preciso fixar o olhar no próprio caminhar, de forma que o horizonte se desenhasse no gesto da criação”, concluem os diretores. O curta teve sua primeira exibição no Festival de Cinema de Gramado deste ano.

Ficha técnica:

Direção: Emiliano Cunha e Vado Vergara

Roteiro: Emiliano Cunha e Vado Vergara

Produção Executiva: Davi Pinheiro, Emiliano Cunha e Vado Vergara

Elenco: Maria Flor Fiori Cunha, Marilia Feix, Olivia Guerra

Imagem: Daniel Dode, Danilo Christidis, Edu Rabin, Emiliano Cunha e Vado Vergara

Arte: Emiliano Cunha e Vado Vergara

Trilha Sonora Original: Rita Zart

Montagem: Emiliano Cunha e Vado Vergara

Desenho de Som: Tiago Bello

Distribuidora: Pocilga Filmes

Cidade de realização do filme: Porto Alegre

Estado realização do filme: Rio Grande do Sul

Diretor Vado Vergara viajou à República Tcheca para o evento – crédito Vado Vergara

Sobre os diretores:

Emiliano Cunha é formado em Cinema e Mestre em Comunicação. Professor de audiovisual, produtor, roteirista, diretor e sócio na Ausgang, dirigiu os premiados curtas “O Cão” (2011), “Lobos”, (2012), “Tomou café e esperou” (2013), “Sob águas claras e inocentes” (2016), “Endotermia” (2018), além das séries “Horizonte B” (2015) e “A Benção” (2020). Seu primeiro longa-metragem, “Raia 4” (2019), estreou no FICCI 2019, construindo sólida carreira em importantes festivais de cinema no Brasil e no exterior, sendo premiado com os kikitos de Melhor Longa-metragem Gaúcho, Melhor Longa Nacional pela Crítica e Melhor Direção de Fotografia no 47˚ Festival de Cinema de Gramado.

Vado Vergara é formado em Produção Audiovisual pela PUC-RS e mestrando em Poéticas Visuais no PPGAV, do Instituto de Artes, UFRGS. Diretor, roteirista, montador e sócio da Pocilga Filmes, seus filmes já circularam em diversos festivais nacionais e internacionais no circuito cinematográfico e das artes visuais. O diretor recebeu o prêmio “Lawrence Kasdan Award for Best Narrative Film”, (Oscar® Award Qualifying), no 57º Ann Arbor Film Festival, festival mais antigo de filmes de vanguarda da América do Norte, em Michigan, EUA. Vado Vergara também ganhou o prêmio de Melhor Direção no FestUni do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *